Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adrão e o Ventor

nas suas caminhadas por Adrão e pela serra de Soajo. Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

Adrão e o Ventor

nas suas caminhadas por Adrão e pela serra de Soajo. Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

21896775_AZGpE.jpeg

Vejam estes golosos a comer rojões assados na serra mais linda do mundo - a serra de Soajo


21896774_5o1Cs.jpeg

Assar rojões na serra de Soajo, nos braseiros dos torgos das urzes, é uma tradição de séculos. Os que eles estão a comer em cima, são estes. Eu estou de serviço às fotos.

_________________________________________________________________________________________________________________________

Da Pedrada ao Muranho

04.09.10 | Ventor | ver comentários (4)
No Alto da Pedrada tinha de fazer opções: voltar a fazer o inverso da caminhada, descer até ao Fojo do Lobo de Gorbelas (Brusca, Seida, ?) ou, então, descer pelo lado inverso, na direcção de Arcos de Valdevez e, visitar o Fojo do Lobo cujo buraco se dirige para os (...)

Notícia boa e notícia má

29.08.10 | Ventor | ver comentários (5)
Hoje, por volta das 20:45, recebi uma chamada no meu telemóvel! Não foi uma chamada como tantas e tantas outras. Foi uma chamada de Ponte da Barca. O meu amigo Luis, o Luis Perricho, o nosso amigo Luis Perricho, que veio de França passar uns dias de férias a Portugal, (...)

Da Naia à Pedrada

21.08.10 | Ventor | ver comentários (4)
Depois daquele diálogo com o sapo da Fonte da Naia e o outro lá atrás a registar tudo, pois logo que me viu, saltou para dentro de água para iniciar a sua máquina e tomar nota do diálogo entre o outro e eu, despedi-me deles e iniciei a caminhada até à Ferrada. (...)

Um Abraço

15.08.10 | Ventor | ver comentários (8)
Um abraço com quarenta e tal anos de lonjura. Adrão, visto de junto ao Cruzeiro, na Portela de cima, 12 de Agosto de 2010 Eu e o António, o filho do meu amigo Bernardino e da Elvira, abraçamos-nos. Foi um abraço que enrodilhou quarenta e tal anos sem nos vermos! Mas a (...)