Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adrão, na Grande Caminhada do Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão é o meu berço. É um berço de granito e os lençóis são bordados com as mais belas flores de ericas, de carquejas, de urzes e muitas outras. Caminhem comigo e vejam

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão é o meu berço. É um berço de granito e os lençóis são bordados com as mais belas flores de ericas, de carquejas, de urzes e muitas outras. Caminhem comigo e vejam

Adrão, na Grande Caminhada do Ventor

A foto do cabeçalho mostra uma creche de vitelos no alto da Derrilheira - serra de Soajo

Podem ver aqui todos os Links dos meus Blogs. É só abrir e espreitar



Piquenique nas Fontes, em Adrão

Último piquenique da Maria Bondeira comigo

Último sorriso da Maria Bondeira para mim


Regresso a Casa, 2015


Clicando nesta foto, podem ver as restantes que compõem o Album Regresso a Casa, com fotos dessa minha passagem por Adrão no meu regresso, rumo a Lisboa, em 2015. Também podem clicar na setinha do Flicker e ver as fotos em slideshow


23
Nov09

Pertinho do Céu

Luiz Franqueira - Ventor

 

Caminhar nas minhas Montanhas Lindas é caminhar ao lado da minha gente, bem pertinho do céu, sob o tecto azul do meu amigo Apolo. Faça comigo, esta caminhada, entre 200 fotos que mostram como são lindas as minhas montanhas

 

É isso mesmo. Coloco aqui mais estas 200 fotos, algumas repetidas, da nossa caminhada, em Agosto passado, pelas nossas Montanhas Lindas.

Ficam aí, algum tempo, para a nossa gente ir caminhando também, por lá. Como eu dizia ao meu Quico, vamos fazer mais uma caminhada virtual, entre os nossos amigos, nas nossas Montanhas Lindas. Ele corria para aqui e sabia observar essas belezas a que chamamos rainhas das montanhas, bem como os garranos, as cabrinhas, as ovelhas e todos os outros.

De futuro, e enquanto o Senhor da Esfera mo permitir, eu caminharei por aí, por eles e pelo Quico, o meu mais lindo companheiro, que alegrou 12 anos da minha vida.

 

Cada vez que caminho no meio desses amigos, sinto-me rejuvenescer e não troco essa caminhada por nada deste mundo. Só não a faço mais vezes porque a outra parte das caminhadas da minha vida não mo tem permitido mas, quando desço desse tecto do nosso mundo, trago comigo, sempre, a esperança enorme de que voltarei mais uma vez.

 

Mas, este ano, trouxe, também, a alegria de ver muitas rainhas das montanhas espalhadas por esses lugares de sonho que me fizeram lembrar a última metade da década de 50, não fossem os fantasmas brancos dos troncos das urzes a recordar o terrível incêndio de Agosto de 2006, tudo seria perfeito.

Em Adrão também há flores lindas. São elas que embelezam as montanhas do Ventor, nas suas caminhadas

Ventor, nas suas caminhadas | Divulga também a tua página

15
Ago09

Montanhas com Alma

Luiz Franqueira - Ventor

 

 

Adrão, como já todos sabem, é uma aldeia nas montanhas da serra de Soajo. Mas Adrão é mais que isso. Adrão tem alma! Ou melhor, Adrão e as suas montanhas têm uma alma comum.

 

Em Julho, andei por lá uma semana, mas andei sempre em torno das nossas Montanhas Lindas. Por portas e travessas, não arranjei maneira de subir à Pedrada e, para mim, ir a Adrão sem subir à Pedrada, torna-se uma grande tristeza, pois tudo fica incompleto. Por isso, tinha de lá voltar. Tinha de complementar a minha caminhada. Sinto-me esvaziado de tudo se ando por lá e não consigo pisar os meus montes. Ali sim! Ali sinto-me em solo sagrado!

 

 

O Poulo do Muranho, fotografado do Alto da Derrilheira. No centro a beleza de uma rainha das montanhas

 

Adrão tem alma e a sua alma está impregnada nas suas Montanhas Lindas. Caminharmos nas nossas montanhas é caminharmos, sempre, ao lado da nossa gente. Todos aqueles que nasceram em Adrão e até muitos que nasceram longe, continuam a caminhar nas peugads dos seus antepassados. Todos nós, que andamos pelo mundo, caminhamos de olhos cravados nos horizontes vastos das nossas Montanhas Lindas.

 

Todos sabemos que as montanhas existentes no nosso Planeta Azul são lindas mas, algo nos diz que nem tudo está bem e concluimos que nem tudo está bem porque não sentimos nas outras montanhas a nossa alma. Quando eu caminho pelos montes que me viram crescer sinto-me a caminhar ao lado de todos que comigo partilharam a sua beleza. Todos que comigo partilharam as águas frescas das suas fontes, todos que comigo admiraram as suas flores, todos os que comigo partilharam os trilhos dos lobos.

 

 

Mãe e filho, no Alto da Derrilheira. Eles embelezam as minhas Montanhas Lindas

 

Creio, também, que estão presentes na nossa alma colectiva, na alma da nossa gente, todos os animais como as vacas, os garranos, as cabras e as ovelhas, tal como sempre estiveram.

Por isso voltei a Adrão apenas para subir à Pedrada e fi-lo, no domingo, com mais três companheiros de caminhada que tal como eu, partilhamos essa alegria com todos aqueles que, através dos tempos, caminharam, por ali. Hoje nós fazêmo-lo por prazer e por amizade para com todos eles que, tal como eu, e alguns de nós, caminhavam por obrigação e necessidade. Eu também tive necessidade de fazer essas caminhadas e, por vezes com alguns sacrifícios, que acabávamos por levar a brincar.

 

Mas hoje, caminhar, nas minhas Montanhas Lindas, caminhar entre os garranos, caminhar entre  as rainhas das montanhas, é caminhar pela vida, é caminhar no sonho.

Em Adrão também há flores lindas. São elas que embelezam as montanhas do Ventor, nas suas caminhadas

Ventor, nas suas caminhadas | Divulga também a tua página

luis.jpg

Luiz Franqueira e o Quico

Sou eu e o meu Quico. Éramos amigos inseparáveis. O Senhor da Esfera levou-mo e, três anos depois, o mesmo Senhor da Esfera, enviou-me o Pilantras

Ticas2.jpg

Pilantras - o Ticas

O Pilantras também é lindo. A seu modo, já não fica a dever nada ao Quico. O Quico corria a meu lado a ver qual chegava primeiro ao computador. O Pilantras vai pela sucapa e ocupa a cadeira

Este é o Link da minha

Grande Caminhada

Caminharei por aqui, hoje e sempre, com o meu velho Quico na cabeça e o meu Ticas a meu lado

Ticas1.jpg

Ticas

O Cão Sabujo de Soajp

2017-09-15 14-22-58_0096.jpg

Este é o cão Sabujo de Soajo

Este cão é aquele a que hoje chamam o cão de Castro Laboreiro. Era o cão que as gentes de Soajo, segundo rezam as suas histórias e o Prof. Jorge Lage, pagavam em tributo aos reis de Portugal. Esse cão acompanhava os monteiros de Soajo nas guardas dos rebanhos e nas montarias reais

O lobo cinzento

Irei falar, por aqui da serra de Soajo e também dos seus lobos e das suas montarias ao lobo, as únicas em que participei como observador, ainda criança. Sabemos que o lobo ibérico é uma subespécie do lobo cinzento mas também sabemos que é um animal fabuloso

16726778_eS0z4.jpg

Falar da serra de Soajo, na qual continuo a caminhar em sonhos, não é só falar de lobos mas, também, falar das suas flores e, escolho para as representar a primeira de todas, as ericas...

DSC03018.jpg

... e depois esta Gentiana azul, esta bela flor azul, aparecida na Corga da Vagem, depois de não haver cabras por lá

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.