Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

 

 
Lobo na serra de Soajo
 
Piquenique nas Fontes, em Adrão
 
Último piquenique comigo
 
Último sorriso para mim

10.04.16

Regresso a Casa, em 2015


Ventor

Foi assim o meu regresso a casa, em 2015, depois de umas passagens fogazes por Adrão e pelas minhas Montanhas Lindas com uma subida à Pedrada.

Pouco para quem gosta de escanchar a perna!

Estas fotos que, mais uma vez tento colocar aqui em slideshow, foram tiradas de três sítios. Da zona do Castelo para Adrão; outras nas Fontes e com um ou dois clicks, através de Entre-os-Outeiros, para o Hotel do Mezio e as outras da Cruz que observa a Várzea, em honra do Bispo Emérito de S. Tomé e Príncipe, D. Abílio, um cidadão português, natural da Várzea.

Regresso a Casa, 2015

Slideshow do Album: foi assim o meu regresso a casa

 

Faça click em: foi assim o meu regresso a casa, em 2015 e, na página que abriu, click no primeiro dos três sinais, o rectangulozinho por cima das fotos do lado direito e, se estiver disposto(a), tem 108 fotos para ver. Se quiser ver, foto a foto é só clicar nas setinhas. 

Com o meu gato Pilantras a dizer-me que, quando morrer, quer ser enterrado, nas Fontes, ao lado do Quico mas, só quer voltar quando estiver morto para não sentir o carro.

Mas, nas Fontes, temos umas espécies de avencas e pequenos fetos junto das nascentes, uma "mini-botânica" que dá sempre para embelezar o meu cérebro, com aquelas florezinhas minúsculas que adoram ser observadas. Eu sei que são as ninfas das fontes que nunca se esquecem que o Ventor também não esquece o seu trabalho de embelezamento desses locais húmidos, verdes e outras cores que, tal como eu, adoram este Planeta Azul.

Esta caminhada sobre rodas, é a melhor maneira de eu regressar a casa. Passar em frente de Adrão, tirar umas fotos (nunca sei quando serão as últimas), olhar as Fontes, mais uma vez, recordar os pôr-se-sol que, em tempos de puto admirei e seguir por Paradela, normalmente, via Lindoso, Ponte da Barca.

Depois, de olhos no alcatrão e arredores, rumo a casa, deixando que o meu coração chore à vontade. E ele começa a chorar quando, dos lados do Gondomil, lanço o olhar sobre o Cemitério de Adrão.

Espero que ele volte a chorar este ano.

As Montanhas Lindas do Ventor, são as montanhas da serra de Soajo, da serra da Peneda, da serra Amarela, do Gerês, ... são as montanhas dos seus sonhos e são, também, as montanhas da sua gente

1 comentário

Comentar post