Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

Nasci em Adrão e, desde muito novo, iniciei as minhas caminhadas pela minha serra - a serra de Soajo. Em 2009 ouvi falar de uma cruz que tinha sido colocada no Alto da Derrilheira. Numa caminhada realizada com os meus companheiros e amigos da serra de Soajo, Luiz Perricho, António Branco e José Manuel Gameiro, fomos recebidos no nosso mais belo Miradouro como mostra esta foto.


Algumas das vacas da serra, receberam-nos e, na sua mente, terão dito: «contempla Ventor, mais uma vez, toda esta beleza que nunca esqueces. Este é o teu mundo e é nele que o Senhor da Esfera te aguarda». Tem sido sempre assim, antes e depois da Cruz.


Se quiserem conhecer Adrão, Soajo e a nossa serra, podem caminhar pelos meus posts e blogs. Para já, só vos digo que fica no Alto Minho.



Depois? Bem, depois ... vamos caminhando!


O Cantinho do Ventor
Caminhando por aí
Ventor e a África
Observar o Passado
Planeta Azul
A Grande Caminhada
A Arrelia do Quico
Os Amigos do Quico
Fotoblog do Quico
Fotoblog do Ventor
Coisas Lindas do Ventor
Rádio Ventor
Pilantras com o Ventor
Fotoblog do Pilantras
Montanhas Lindas
Os Filhos do Sol
As Belezas do Ventor
Ventor entre as Flores

rio adrão.jpeg

Aqui nasce o rio Adrão


Das melhores coisas da minha vida, foi caminhar no rio de Adrão. Até aos 15 anos e depois, à medida que por lá ia passando. Nesses tempos eu caminhava no meu rio como caminho hoje por muitos trilhos limpos.

 

O rio Adrão nasce aqui e vai perder-se enleado em matagais sem fim


22.07.20

A Serra de Soajo


Ventor

Desde que me conheço, sempre me metia nojo ver vários mapas que localizavam a serra de Soajo em várias posições. Na serra Amarela, numa "esquina" de um dos seus sopés (montes de Vilar de Suente), ou chamar-lhe apenas e só, Outeiro Maior e continua a meter-me nojo as informações dadas sobre esse tal Parque Nacional onde tudo se desenrola como se tudo fosse Gerês.

No Gerês! Foi no Gerês, perderam-se no Gerês, morreu no Gerês. Acho que já é sem tempo que, tratando-se de um Parque Nacional, bem grande, dividido ao meio pelo rio Lima, tudo o que lhe diga respeito não se confine apenas ao Gerês. Pelo menos, que se confine a essas duas metades. Sempre achei a nossa malta das informações, jornalistas ou pseudo-jornalistas, muito desatentos em relação a tudo e muita dessa desatenção é relativa ao dito Parque e a tudo que nele se desenrola.

P8121435.jpg

Alto da Pedrada, também conhecido por Outeiro Maior, em cartas militares

Para mim é gente desatenta e até dão a entender que de Geografia não percebem nada. Houve tempos que eu dizia que essa gente andou toda a estudar para burros. Eu sei que essa malta só tinha uma coisa a ver comigo. Defender as raposas e por isso não havia peles para distribuir na altura dos exames. Também se passou a defender os burrinhos e, por essa razão, não havia orelhas para distribuir. Mas há uma coisa que eu tenho a certeza: "este país ficou cheio de doutores que passaram a viver à custa dos subsídios do Estado, aldrabando quase tudo o que mexem. E como eu não sou como o velho professor Marcelo a distribuir valores, acho que mais de metade desses doutorecos estão bem abaixo da média. Lamento mas é o que eu penso e não penso isso por acaso. É pena mas é a nossa realidade.

Não foi por acaso que a serra de Soajo andou a fazer iô-iô, entre manápulas sujas de alguns geógrafos que, mesmo que tivessem o cérebro grande, a sua massa cinzenta seria do tamanho da cabeça de uma galinha, em tempo de epidemia. Tal como os que aparecem hoje a dizer que a lua é oca, eu penso o mesmo desses geógrafos prodigiosos - cérebros ocos que tentaram acabar com a serra de Soajo.

P8121442.jpg

Alto da Pedrada, o ponto mais alto da serra de Soajo, mais alto do distrito de Viana do Castelo, entre o rio Lima, o Minho e o mar

E continuo a não esquecer o capitão de Aveiro que me disse, de viva voz: "vocês vão ficar sem a serra de Soajo". Era um capitão de Abril que gostaria de ter tentado antecipar essa festa de 1974 para 1973. O que ele mais gostaria era entrar na tal Assembleia de então, encosta-los todos à parede e leva-los para lugar seguro.

O que eu quero, apenas e só, quero ver a serra de Soajo localizada no seu lugar geográfico de séculos.


As Montanhas Lindas do Ventor, são as montanhas da serra de Soajo, da serra Amarela, do Gerês, ... são as montanhas dos meus sonhos e são, também, as montanhas de toda a minha gente

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.