Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

Adrão e o Ventor

Eu nasci na serra de Soajo e Adrão, nas suas encostas, é o meu berço

 

 
Lobo na serra de Soajo
 
Piquenique nas Fontes, em Adrão
 
Último piquenique comigo
 
Último sorriso para mim

28.02.10

Caminhar no Rio da Peneda


Ventor

Caminhar nas serras de Soajo, da Peneda, do Gerês, ... é caminhar na Natureza, e caminhar no rio da Peneda é caminhar pela mão da Senhora da Peneda!

Cuidado Ventor, olha as ervas, olha as ervas meladas do carriço molhado, olha as silvas entre as ervas que podem estar a fazer de ratoeira, olha ...

Enfim, uma preocupação permanente da Senhora da Peneda em colocar todos os meus poros em alerta.

Um pormenor num troço do rio da Peneda

Mas que é lindo é!

Eu gostei de fazer no rio da Peneda a caminhada que já não consigo fazer no meu rio. No rio da Peneda ainda há troços onde se pode saltar umas rochas sem matos a incomodar. Mas os tais troços só são usados, tipo toca e anda. Isto é, entramos, saímos, voltamos a entrar e a sair e assim sossecivamente até desistirmos. Em Adrão, já não há troços onde entrar e sair. Os matos não deixam!

Uma truta no rio da Peneda

Mas, na Peneda, cerca de uma hora e meia antes de ter de estar no hotel para irmos a Soajo ter com os nossos amigos, Tina e Alex, eu saí do carro e disse até logo. Segui pela estrada até entrar no rio, onde matei saudades dos cheiros de outros tempos. Por ali vi quase tudo o que há para ver nos rios das minhas Montanhas Lindas, menos o melro d'água, a toupeira d'água e o guarda-rios. Vi trutas, vi libelinhas, vi cabras-cegas, aquelas amigas do Bocage, vi os carriços, vi lindos salgueiros, vi silvas, borboletas, flores ... quase tudo, porque não ter tempo, porque estou convicto que se ficasse por ali uma tarde, acabaria por ver tudo. Faltou-me, também, a cobra d'água uma velha amiga de outros tempos.

Uma libelinha azul, pousada num salgueiro, no rio da Peneda

Para já deixo por aqui algumas coisas lindas que muitos anos depois voltei a rever no belíssimo rio da Peneda, um dos meus rios de encanto das minhas caminhadas.

Flores rosas, flores mágicas, no rio da Peneda

Mas as flores que existem pelas minhas Montanhas Lindas, existem também penduradas nas margens do rio a observar as suas águas límpidas e tiveram também oportunidade de ver o seu amigo Ventor, mais uma vez, a apreciar todas as maravilhas que fazem parte do todo a que aqui chamo de Rio da Peneda.

Outra flor rosa, no rio da Peneda

Se um dia passarem pelo rio da Peneda, não esqueçam que também por lá há muitas flores de todos os tipos, mas sempre flores selvagens que melhor que qualquer outras sabem enfeitar os nossos olhos, especialmente, os olhos do Ventor.

As Montanhas Lindas do Ventor, são as montanhas da serra de Soajo, da serra da Peneda, da serra Amarela, do Gerês, ... são as montanhas dos seus sonhos e são, também, as montanhas da sua gente